Anuário sobre Manejo de Resíduos Sólidos mostra a importância do avanço da reciclagem

Cascavel destaca-se no cenário nacional através da rede coletora de resíduos recicláveis chegando a marca de 10,37 % de alcance de material coletado formalmente

Secom

O índice geral de reciclagem dos resíduos sólidos no país ainda é de cerca de 5,3% do total potencialmente recuperável, segundo dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS). No entanto, quando os dados são municipalizados, a rede de coleta seletiva em Cascavel ganha destaque quanto a sua aplicabilidade.

O levantamento consta da edição mais recente do Diagnóstico de Manejo de Resíduos Sólidos Urbanos, publicado em dezembro do ano passado, mas com dados consolidados de 2020. O SNIS-RS 2020 identificou quatro tipos (natureza jurídica) de prestadores de serviços de limpeza urbana, órgãos e manejo de resíduos sólidos: (1) administração pública direta; (2), autarquia; (3) empresa pública; e (4) sociedades de economia mista com administração pública.

O SNIS-RS 2020 reuniu informações de 5.018 unidades de processamento de resíduos sólidos urbanos (RSU) em operação. Em 2020, elas são destino de 92,7 milhões de toneladas de massa de resíduos sólidos, sendo 65,3 milhões de toneladas para unidades de disposição no solo: aterro sanitário (48,2 milhões de toneladas), lixão (9,6 milhões de toneladas) e aterro controlado (7,6 milhões de toneladas).

A administração pública direta (prefeitura), por meio de secretarias, departamentos, coordenadorias e/ou setores, presta os serviços em 94,5% dos municípios (4.338 dos 4.589 participantes). A atuação abrange 72,0% da população urbana da amostra (121,8 milhões) e é mais presente em municípios das faixas populacionais 1 a 4 (com menos de 1 milhão de habitantes).

O manejo dos resíduos sólidos urbanos (RSU) envolve distintos processos, tecnologias e fluxos. A chamada rota tecnológica começa no ponto de geração. Os resíduos são coletados pelos prestadores de serviços de forma indiferenciada (sem seleção) e diferenciada (resíduos separados, como os recicláveis). Os resíduos devem ser destinados à seleção e/ou a tratamento. A rota tecnológica se encerra com a disposição final dos rejeitos (material sem viabilidade de reaproveitamento) em espaços ambientalmente adequados (aterros sanitários).

Em Cascavel, 90 % do material coletado nas residências pela coleta formal, e que chega nos Ecopontos é possível reciclar. Por conseqüência, garante ao Aterro Sanitário Municipal o prolongamento do tempo de uso das áreas de armazenamento do resíduo não reciclável.

Conforme o anuário, os Resíduos Sólidos Domiciliares (RDO) e Públicos (RPU) gerados pela população urbana está na média 1,01kg por habitante diário.

O SNIS-RS 2020 identificou coleta seletiva de Resíduos Sólidos Domiciliares (RDO) em áreas urbanas de 1.664 municípios, ou seja, 36,3% das cidades brasileiras, com recolhimento de cerca de 1,9 milhão de tonelada/ano, o equivalente a 1.139 toneladas/ município/ano ou 15,3 kg/hab./ano.

Em Cascavel, 7 mil toneladas de resíduos, mensalmente, são depositadas e processadas no Aterro Sanitário. Vale lembrar que todo o material é utilizado para a produção de biogás que se transforma em energia limpa.

66,2 milhões de habitantes com coleta seletiva porta a porta em áreas urbanas de 1.429 municípios no SNIS-RS 2020.

19 milhões de pessoas da região Sul do País são contempladas com o recolhimento porta a porta.

Os resíduos domiciliares (RDO) secos são previamente separados pelos usuários e dispostos em calçada, testada de terrenos, via pública (em frente ou próximo a domicílios) e pontos de coleta de condomínio multifamiliar (vertical ou horizontal). O recolhimento é feito de forma regular pelo responsável pelo serviço ou contratado.

Em Cascavel, seis Ecopontos desenvolvidos em parceria com a Itaipu Binacional estão estrategicamente posicionados para atender o município. A Massa de resíduos domiciliares coletada seletivamente está em 1,3 mil toneladas nos municípios da região Sul, por ano.

Em Cascavel, essa média é de 789,7 mil toneladas de materiais, anualmente, e que são recuperadas através da coleta seletiva. (o valor correto, considerando a coleta formal, foi de 2.862,93 toneladas processadas em 2021).

Acesse o link abaixo para visualizar o anuário:

http://www.snis.gov.br/downloads/diagnosticos/rs/2020/DIAGNOSTICO_TEMATICO_VISAO_GERAL_RS_SNIS_2021.pdf

Relacionadas

Leave a Comment