Arqueólogo que atuou em Cascavel pode dar nome a uma área do Museu Histórico

O historiador, arqueólogo e egiptólogo Maurício Schneider, morto em maio deste ano em decorrência da covid-19, pode ser homenageado dando seu nome à Reserva Técnica de Arqueologia do Museu Histórico Celso Formighieri Sperança. A proposta está no Projeto de Lei nº 106/2021, do vereador Serginho Ribeiro (PDT), pautado para votação nas sessões de segunda e terça (20 e 21) na próxima semana.

De acordo com o art. 1º da proposição, a área do museu localizado no Centro Cultural Gilberto Mayer passaria a se chamar “Reserva Técnica de Arqueologia Dr. Maurício Schneider”. Conforme lembra o vereador Serginho ao justificar o projeto, o arqueólogo atuou em Cascavel no Colégio Dom Bosco, no Curso Preparatório Alfa, na Universidade Paranaense (Unipar) e também orientou a coordenação do Museu Histórico para que se tornasse um centro de referência para recebimento de acervos arqueológicos do oeste do Paraná a serem destinados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

“É indiscutível o trabalho grandioso que esse homem deixou para a sociedade brasileira em suas publicações e escavações arqueológicas. O professor doutor Maurício deixou um legado para a cidade de Cascavel no que se refere à preservação do patrimônio histórico e arqueológico do nosso município e do Paraná. Essa homenagem é justa, devido aos seus trabalhos voluntários junto ao Museu Histórico”, argumenta Serginho Ribeiro.

Foto: Divulgação

Assessoria de Imprensa/CMC

Relacionadas

Leave a Comment