Banco da Mulher: Mais de 400 mulheres já foram beneficiadas com juros subsidiados

Na noite de ontem, o 1º Fórum do Banco da Mulher Cascavelense reuniu centenas de pessoas no teatro Emir Sfair

Secom

Criado em 2019 e regulamentado no ano seguinte, o Banco da Mulher Cascavelense (BMC) já atendeu mais de mais de 400 mulheres com empréstimos que trazem juros subsidiados como forma de incentivar o empreendedorismo feminino. Desde então, são R$ 1,25 milhão liberados somente em subsídios de juros e que resultaram em aproximadamente R$ 4 milhões em negócios.

Na noite de ontem (28), aconteceu o 1º Fórum do Banco da Mulher que reuniu centenas de mulheres no teatro Emir Sfair, no Centro de Convenções e Eventos.

O prefeito Leonaldo Paranhos destacou que as políticas públicas precisam estar integradas e que o Município tem feito isso com vários programas, criados para facilitar a vida dos cascavelenses.

“Eu sempre disse que o Banco da Mulher não é uma questão de cota. A mulher não precisa de cota, a mulher precisa ser respeitada, buscar o seu espaço, encontrar facilidades e não ter discriminação. Então esse conjunto deu muito certo porque ela consegue o Alvará fácil, consegue o recurso sem burocracia, o curso do Qualificando Bem, se prepara, agrega valor ao seu produto, comercializa, vende, gera renda e qualidade de vida”, afirmou Paranhos.

A secretária de Desenvolvimento Econômico, Hivonete Piccoli, destaca que as mulheres estão cada vez mais ocupando espaço no mercado de trabalho, empreendendo e garantindo o sustento familiar. “Esse primeiro fórum do Banco da Mulher Cascavelense é um projeto que partiu do Banco da Mulher, com esse olhar voltado às mulheres empreendedoras que cada vez mais ocupam espaço no mercado de trabalho”, diz.

A economista Fernanda Lemes, especialista em varejo, ressaltou que o fórum do BMC foi o pontapé inicial para outras ações voltadas ao empreendedorismo feminino.

“A mulher tem um potencial gigante, ela só precisa descobrir algumas ferramentas que já existem para ela poder colocar tudo isso em prática. Acredito que vai trazer muitos benefícios para as mulheres que tem um sonho, um desejo de empreenderem, mas não sabem por onde começar”, enfatizou.

Mirian Cristiane Ferreira, empresária, afirma que o Banco da Mulher veio para agregar valor e ajudar nos sonhos. Ela afirmou que o programa de empréstimos com juros subsidiados fez a diferença em sua empresa.

“Se não fosse isso, o pontapé seria um pouquinho mais devagar. Então nós estamos bem à frente do que esperávamos quando nós começamos com a empresa”, afirma.

A historiadora Graciele Schubert Kühl diz que se trata de um apoio financeiro extremamente importante.

“Muitas mulheres tem a ideia do que fazer, de como empreender, mas muitas vezes falta esse apoio financeiro. No meu caso, esse apoio foi poder comprar um computador, que é minha ferramenta de trabalho. fez a diferença porque toda a base do meu trabalho é o computador, então para mim foi essencial”, afirmou.

A diretora de Desenvolvimento Econômico, Geanine Alves Bueno, disse que a realização do fórum foi para celebrar o sucesso do empreendedorismo feminino

“Até hoje nós já atendemos através desse programa mais de 400 mulheres por meio de dois editais lançados e que disponibilizaram mais de R$ 1.250 milhões em subsídios de juros e já estamos indo para o terceiro edital, dado ao tamanho sucesso do programa que vem transformando a vida das mulheres empreendedoras”, afirma.

(SECOM)

Relacionadas

Leave a Comment