Cestas básicas distribuídas a alunos das Apaes ajudam na alimentação em janeiro

Ao todo foram beneficiadas 365 entidades em 328 municípios, a grande maioria Apaes. A ação, que ocorreu no final do ano passado, teve por objetivo suprir as necessidades dessas famílias, que têm alunos que frequentam escolas para pessoas com necessidades especiais, e que, no recesso e em janeiro, ficam sem a merenda.

O Governo do Paraná, através do Departamento de Políticas para a Pessoa com Deficiência (Dpcd) da Secretaria de Justiça, Família e Trabalho do Paraná (Sejuf), entregou 28.662 cestas básicas para 14.331 famílias com crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social atendidas pelas Apaes. A ação, que ocorreu no final do ano passado, teve por objetivo suprir as necessidades dessas famílias, que têm alunos que frequentam escolas para pessoas com necessidades especiais, e que, no recesso e em janeiro, ficam sem a merenda.

“Esta foi uma ação de grande abrangência social, ajudou a dar suporte às famílias que, por se encontrarem em situação de vulnerabilidade social, não têm condições de oferecer às crianças e adolescentes as refeições que elas normalmente fazem nas escolas especiais”, disse o secretário Ney Leprevost. “Elas tiveram papel importante no Natal e continuam a ser utilizadas agora em janeiro”.

Ao todo foram beneficiadas 365 entidades em 328 municípios, a grande maioria Apaes. Outras instituições como Fundação Ecumênica de Proteção ao Excepcional (Fepe), Associação Franciscana de Ensino ao Cidadão Especial (Afece), Associação de Portadores de Fissura Lábio Palatal de Cascavel (Apofilab) e Instituto Londrinense de Educação para Crianças Excepcionais (Ilece) estiveram entre as atendidas.

Para Felipe Braga Côrtes, chefe do Departamento de Políticas para a Pessoa com Deficiência, atender essas famílias é um dever do Estado. “Sabemos das muitas dificuldades que elas enfrentam durante este período para ter comida na mesa. Assim, as duas cestas básicas por família vão ajudá-las a sustentar suas crianças e adolescentes até que o recesso escolar se encerre. Agradeço muito às entidades que contribuíram com a nossa equipe na logística para a distribuição dessas milhares de cestas básicas”, disse.

Os recursos são do Fundo da Infância e do Adolescente (FIA), deliberados pelo Conselho Estadual dos Direitos das Crianças e dos Adolescentes (Cedca).

(aen)

Relacionadas

Leave a Comment