Com investimentos também na produção de energia, Grupo Ascensus estuda ampliar atuação no Paraná

Empresa já administra o terminal destinado à movimentação de veículos no Porto de Paranaguá e tem plano de expansão voltado para a produção de energia solar.

O Ascensus Group, que já administra o terminal destinado à movimentação de veículos no Porto de Paranaguá, pretende ampliar a área de atuação e os investimentos no Paraná. A proposta foi apresentada pela empresa ao governador Carlos Massa Ratinho Junior nesta quarta-feira (16) durante reunião no Palácio Iguaçu, em Curitiba.

O Ascensus Group tem sede em Joinville, Santa Catarina, e é especializado em comércio internacional, com os serviços de importação, distribuição, logística, fullcommerce e portos. Entre os projetos pensados para implementar no Estado estão também a construção de usinas de energia solar. O investimento pode ultrapassar a faixa dos R$ 200 milhões.

No ano passado, o grupo arrematou, em leilão na Bolsa de Valores de São Paulo (B3), o pátio de veículos do Porto de Paranaguá. O investimento foi de R$ 25 milhões, com a obrigação de fazer investimentos de R$ 22 milhões ao longo de 25 anos, além de pagamentos ordinários mensais pela ocupação. O espaço será inaugurado em outubro, com a criação de 30 empregos diretos.

“É mais uma empresa que acredita no desenvolvimento do Paraná. Se instalou no Estado por meio de Paranaguá e já pensa em ampliar os investimentos aqui, o que é muito importante, a garantia de geração de emprego e renda”, afirmou Ratinho Junior.

“Fizemos uma apresentação institucional do grupo para o governador Ratinho Junior. Estamos baseados em Santa Catarina, mas olhamos o Paraná com muito bons olhos. Mostramos que além do investimento em Paranaguá, temos outras frentes de trabalho e a energia solar é uma delas. Pretendemos fazer do Paraná uma das plataformas do grupo, ajudando a movimentar a economia local”, explicou o CEO da empresa, Cleverson Siewert.

PÁTIO – O Paraná foi o primeiro Estado do Brasil a conceder um terminal portuário por decisão própria, depois de receber do governo federal a autonomia para administrar os contratos de exploração de áreas, em agosto de 2019. O terminal PAR12 tem 74,1 mil metros quadrados de área e capacidade estática para 4 mil veículos e armazenagem anual de 120 mil veículos.

A área do PAR12 é caracterizada como greenfield, um “terreno limpo”, não possuindo melhorias representativas ou bens reversíveis. Ela está localizada na retaguarda do Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP), em área adjacente ao terminal arrendado à Volkswagen.

Nesse local estão sendo implantados os equipamentos e edificações a serem utilizados na movimentação e armazenagem de cargas Roll-on/Roll-off (automóveis de passeio, veículos comerciais leves, utilitários, caminhões, ônibus, tratores e outras cargas). Ao fim dos 25 anos de contrato, o que foi investido ficará com o Porto de Paranaguá.

As cargas Roll-on/Roll-of são caracterizadas por embarcar e desembarcar nos navios pelos seus próprios meios, sem necessitar de equipamentos para carregamento. Nesta modalidade, a demanda estimada em Paranaguá vai de 287 mil a 461 mil veículos/ano entre 2021 e 2045.

“É um grupo de referência que, se bem trabalhado, o investimento no Paraná pode passar da casa dos R$ 400 milhões”, destacou o diretor-presidente da Invest Paraná, Eduardo Bekin.

PRESENÇAS – Também participaram da reunião os representantes da empresa Guilherme Lima (Chairman) e Flávio Rufino (diretor de Operação e Comercial Sul).

(AEN)

Relacionadas

Leave a Comment