Combate à dengue: agentes de endemias concluem ação especial na região Sul

Secom

As equipes do Setor de Endemias, da Secretaria de Saúde de Cascavel, encerram no dia de hoje (29) os trabalhos de combate à dengue, na região sul da da cidade, que compreende os bairros Cascavel Velho, Itália e Presidente. A região apresentou índice de 10,2% de infestação do mosquito Aedes aegipyti, no último Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), realizado na cidade.

“Este índice ficou muito acima do preconizado pelo Ministério da Saúde, e por isso estamos intensificando durante todo o dia de hoje os trabalhos nesta região. O que chama a atenção da Secretaria de Saúde são os registros de casos positivos de dengue, o que acende o alerta para o risco de epidemia e também de um surto de dengue naquela região da cidade”, disse a coordenadora do Setor de Endemias, Ana Paula Barbosa.

Ela disse também que na sequência a atuação das equipes da dengue será em outros bairros. “Mas nada disso vai adiantar se a população, o morador de Cascavel, não fazer a lição de casa, ou seja, depois que o agente de endemias se for, a missão de manter os quintais livres de criadouros da dengue é de cada um. Este um trabalho que pode ser feito uma vez por semana pelas famílias”, afirma.

Nestas ações realizadas em Cascavel, o Setor de Endemias tem recebido o apoio do Corpo de Bombeiros, Exército, Guarda Municipal, Patrimonial e de outras secretarias e departamentos do Município.

Durante a visita às residências do Jardim Presidente, as equipes estiveram na casa da dona Amara Cristina da Silva. Muito consciente dos riscos que a dengue pode trazer e suas consequências, ela disse que mantém sempre o quintal limpo. “Além disso meu marido verifica as calhas com frequência”, contou.

Dona Amara recebeu os agentes, ouviu atentamente as explicações. “Mas nada disso vai me ajudar se meus vizinhos não fizerem o mesmo. Eu cuido do meu quintal, das calhas da minha casa, mas toda a vizinhança precisa colaborar e não deixar lixo e entulho jogado, espalhado pela rua, quintais, terrenos. Se a gente ajudar, a gente acaba com este mosquito. Estamos saindo de uma pandemia da Covid e não podemos entrar em uma epidemia de dengue, que é uma doença que mata e destrói as famílias”, enfatizou.

(Secom)

Relacionadas

Leave a Comment