CPI pedirá à PF íntegra do depoimento de diretora da Precisa

Emanuela Medrades é alvo de investigação paralela ao colegiado na Polícia Federal e já prestou depoimento à corporação

Senadores que integram a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 aprovaram, na manhã desta quinta-feira (15/7), requerimento de informação solicitando que a Polícia Federal disponibilize o teor do depoimento prestado por Emanuela Medrades, diretora técnica da Precisa Medicamentos.

A funcionária da empresa privada é alvo de investigação paralela ao colegiado na corporação. Medrades chegou a ser ouvida pelos investigadores na véspera do depoimento à CPI, durante terça e quarta. O fato irritou senadores, que sugeriram “uso político” da PF para atrapalhar os trabalhos da comissão.

Em depoimento, a diretora técnica negou irregularidades nas tratativas que envolvem a Precisa e o Ministério da Saúde. A empresa é intermediária nas negociações da vacina indiana Covaxin e representa, no Brasil, a Bharat Biontech, que produz o imunizante.

Medrades disse, também, ser “mentirosa” a ata de reunião do Ministério da Saúde que defendia a negociação de dose por US$ 10. Segundo a funcionária da empresa que intermediou as negociações, “não houve nenhuma oferta” nesse valor.

Emanuela defendeu que, no encontro ocorrido em 20 de novembro, não houve definição sobre o valor ofertado pelo imunizante. “Eu não sei o porquê colocaram isso aí. Nós não ofertamos a vacina a US$ 10, nem a Bharat. Nessa reunião, nós não falamos ainda de quanto ia custar. O preço nem tinha sido definido ainda”, explicou.

Foto: Jefferson Rudy/Agência

(Metrópoles)

Relacionadas

Leave a Comment