Dados estatísticos da Transitar apontam que rotatórias reduzem mais de 81% o índice de sinistros em cruzamentos

Com base em estudos técnicos, Autarquia está implantando mais seis dispositivos em pontos considerados críticos no centro e em diferentes bairros de Cascavel

Sinistros que vão desde pequena monta até graves, gravíssimos e fatais em Cascavel povoam o noticiário diariamente, assim como são diários os protocolos de solicitações de medidas para se evitar esses acidentes. Dados estatísticos da Transitar apontam que, somente no primeiro semestre de 2021, mais de 81% dos cruzamentos com maior número de acidentes e, de maior gravidade, foram registrados justamente onde há sinalização semafórica. Na contramão desse índice, os cruzamentos com rotatórias apresentaram redução média de mais de 81% de acidentes, com alguns locais zerando registros de ocorrências, como é o caso da Rua Mato Grosso com a Engenheiro Rebouças, conforme dados desde a implantação, em 2016.

A constatação está motivando a implantação de novos dispositivos na cidade, no Centro e em bairros onde há maior violência no trânsito, uma vez que a sinalização é uma alternativa viável, com custo menor também de manutenção em relação ao semáforo, que além de melhorar a fluidez e a segurança, ainda controla o excesso de velocidade na via.

Isso ocorre, segundo a presidente da Transitar, Simoni Soares, porque na rotatória, pelo menos em tese, todos os veículos precisam reduzir a velocidade para fazer as conversões e, quando a passagem é realizada de forma correta, dando a preferência aos demais condutores e pedestres, evita-se colisões transversais e graves, como as que normalmente são registradas em semáforos, onde os condutores frequentemente empreendem maior velocidade para tentar aproveitar os últimos segundos e atravessar no amarelo, de forma que os sinistros, quando ocorrem, chegam a ser fatais. Além disso, a falta de atenção em semáforos costuma ser maior, devido ao uso do celular ao volante.

“Vamos ainda neste mês implantar mais quatro rotatórias além das duas que já estavam no nosso cronograma, todas deferidas com base nos registros de acidentes no local, avaliação geométrica que possibilite a implantação e avaliação de fluxo de veículos feita pela engenharia de trânsito”, detalha Simoni.

Locais definidos

Na região norte, já estão em implantação das rotatórias na Rua Maria Tereza Figueiredo, no Bairro Interlagos, nos cruzamentos com a Rua Leonardo da Vinci e a Avenida Interlagos.

Receberão dispositivos também, na Região do Lago, os cruzamentos da Jacarezinho com a Rua Bom Jesus e Rua Machado de Assis; no Centro, na Rua Maranhão x Avenida Assunção; na Rua Pernambuco x Marechal Deodoro e no Jardim Tropical, a Rua Flamboyant x Rua Jequitibá.

Com essas seis novas rotatórias, Cascavel passa a contar com 29 dispositivos até o fim de outubro.

Você sabe trafegar na rotatória?

A encarregada do setor de Educação e Cidadania da Transitar, Luciane de Moura, lembra que o Código de Trânsito Brasileiro estabelece que a preferência de passagem, no caso de rotatórias, é dos veículos que já estão trafegando por elas, mas como proceder para entrar e sair destes locais?

Ao aproximar-se de uma rotatória, assim como em qualquer cruzamento, o condutor deve em primeiro lugar reduzir a velocidade e manter a atenção.

Outra regra fundamental é sempre respeitar a preferência e ceder passagem para quem já está trafegando na rotatória, independente da categoria ou do tipo de veículo. No caso de não haver nenhum veículo circulando e dois automóveis chegarem ao mesmo tempo, em acessos distintos da rotatória, a preferência será daquele motorista que estiver à direita.

Três regras básicas da rotatória

A preferência é de:

– Quem já está circulando pela rótula.

– Quem está à direita da pista contrária.

– No caso de dois veículos que seguem no mesmo fluxo, quem chegou primeiro.

Relacionadas

Leave a Comment