Depois de concluir atividades teóricas e práticas, Curso de Brigadistas terá formatura

Escola do Legislativo se prepara para organizar a formatura do primeiro Curso de Brigadistas de Emergência da Câmara Municipal. Depois de uma etapa inicial teórica dividida em módulos que se iniciou em abril na modalidade de Educação à Distância (EAD), o curso teve uma série de atividades práticas, que se encerraram na primeira semana deste mês de julho. Os participantes foram avaliados em cada etapa.

“Temos 23 voluntários formandos, entre servidores efetivos e comissionados, inclusive assessores de gabinetes dos vereadores. Agora nós teremos condições de preparar um Plano de Abandono, que será o fechamento desse programa. Esse plano vai envolver uma equipe já estruturada, com um coordenador entre os formandos, que será o responsável em acionar toda a equipe no caso de uma emergência. E cada um da equipe terá sua função no plano”, explica a coordenadora da Escola do Legislativo, Adriana Salles.

Voltado para a capacitação dos servidores do Legislativo, esse curso foi uma sugestão da vereadora Beth Leal (Republicanos), acatada pelo presidente Alécio Espínola (PSC). Na primeira etapa, realizada em ambiente virtual pela plataforma Moodle, os módulos teóricos abordaram os temas: Brigada e Plano de Abandono; Prevenção e Combate a Incêndios; Primeiros Socorros; e Defesa Civil. A parte prática e presencial foi realizada no Corpo de Bombeiros de Cascavel.

No texto de abertura do curso no Moodle, sua descrição diz que “trata-se de uma capacitação com o objetivo de preparar pessoas para darem a primeira resposta em caso de sinistros de incêndio, acidentes e situações de emergência, cujo objetivo é proporcionar um ambiente mais seguro para os ocupantes de edificações de Entidades e Instituições que possuem parceria com o Corpo de Bombeiros”. Os 23 formandos tiveram que participar de todas as atividades e obter média mínima de 7 no conjunto das avaliações por etapa e final. A Escola do Legislativo superou a expectativa de inscrição de pelo menos 18 servidores, que representam 10% do total de trabalhadores em turno de 8 horas do Legislativo.

Na palestra inaugural em abril, o major Amarildo Ribeiro, comandante interino do Corpo de Bombeiros, disse que os cursos de prevenção e combate a sinistros já fazem parte do currículo escolar em muitos países. No Paraná, já há atividades desse tipo na rede escolar, incluindo planos de evacuação nas escolas. “Nos órgãos públicos é fundamental fazer isso. Ao contrário do que acontece em países como o Japão, que quando acontece um terremoto todo mundo já sabe o que fazer, aqui no Brasil não é hábito, e por isso a gente vê situações como foi o caso da boate Kiss. Precisamos então nos capacitar para estarmos preparados para qualquer tipo de sinistro, não só incêndios”, explicou o bombeiro.

Foto e Texto: Assessoria de Imprensa/CMC

Relacionadas

Leave a Comment