Estado reúne especialistas para debater ações dos museus universitários no pós-pandemia

Encontro reuniu especialistas das sete universidades estaduais e da UFPR e iniciou uma aproximação entre eles para analisar ações durante a pandemia e adaptações necessárias para após esse período.

O Paraná possui 14 museus universitários nas cidades de Ponta Grossa, Londrina, Apucarana, Campo Mourão, Guarapuava, Maringá, Jacarezinho e Curitiba. Nesta segunda-feira (21), a Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior reuniu pesquisadores especialistas em museus para debater as perspectivas dos espaços no período pós-pandemia. O encontro deu início à estratégia de aproximação dos especialistas destas instituições para analisar e propor ações nestes espaços durante a pandemia e as adaptações necessárias após esse período de restrição.

A iniciativa, que integra I Fórum Permanente de Discussões dos Museus Universitários, é realizada pela Rede de Museus e Centros de Memórias Universitários do Paraná, em parceria com a Universidade Virtual do Paraná (UVPR). O fórum tem o objetivo de construir uma nova política estadual do setor que viabilize recursos orçamentários e humanos para as instituições.

O debate foi mediado pelo assessor para Museus e Cultura da Superintendência de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Renê Wagner Ramos, e contou com a participação de pesquisadores das universidades estaduais de Londrina (UEL), Maringá (UEM), Ponta Grossa (UEPG), do Centro-Oeste (Unicentro), do Oeste (Unioeste), do Norte do Paraná (UENP) e Estadual do Paraná (Unespar) e e da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Renê Wagner Ramos enfatizou que os museus são importantes espaços culturais e de memória, além de fundamentais para o desenvolvimento de pesquisas acadêmicas. “Nesse momento em que vivemos, os museus e centros de memória passam por um processo de adaptação. Esse debate é necessário para que possamos repensar o papel desses locais, que possuem uma importância fundamental na cultura, ensino, pesquisa e extensão universitária”, destacou Ramos.

O diretor do Museu Campos Gerais, vinculado à UEPG, Niltonci Batista Chaves, ressaltou a expressividade do número de museus universitários no Estado. “A criação de uma rede de Museus Universitários paranaenses se faz necessária pela característica do nosso sistema, atendendo as necessidades acadêmicas, políticas e institucionais”, afirmou.

MUSEOLOGIA – Autorizado em 2019, o curso de Museologia da Universidade Estadual do Paraná (Unespar)é o primeiro do Estado nessa área. A graduação atende a uma demanda de profissionais, valorizando a preservação da memória científica e cultural. Segundo o Conselho Federal de Museologia (Cofem), no Brasil, há apenas 13 cursos de graduação e quatro cursos de pós-graduação em Museologia.

“A Museologia é um dos pilares desse momento de valorização dos espaços de memória. No curso é ofertada uma formação técnica, precisa e que fortalece todas as áreas ligadas a esse campo de estudo”, ressaltou Renê Wagner Ramos.

Foto: Jaelson Lucas

(AEN)

Deixe um comentário