Leitos de UTI para Covid-19 poderão ser mantidlos para atender outras doenças no Paraná

Paraná debateu o assunto com o Ministério da Saúde e solicitou uma contrapartida de custeio do Governo Federal dentro do Sistema Único de Saúde (SUS).

Foto: Rodrigo Félix Leal

Representantes da Secretaria estadual da Saúde (Sesa) discutiram nesta segunda-feira (18) com integrantes do Ministério da Saúde, em Brasília, o cenário pós-Covid-19, tendo como principal assunto a manutenção e destino de 600 leitos de UTI habilitados no Paraná ao longo da pandemia.

O objetivo é manter essas vagas ativas mesmo com a queda no número de internações por Covid-19, realocando a estrutura para o tratamento de outras doenças nos hospitais. Para isso, o Estado solicitou uma contrapartida do Governo Federal dentro do Sistema Único de Saúde (SUS).

Para o secretário Beto Preto, a ida da comitiva à capital federal traça um novo cenário para a Saúde, mudando o foco da estrutura hospitalar, hoje voltada para os casos da Covid-19. “O custeio das UTIs abertas na pandemia está garantido pelo Ministério até dezembro deste ano. O desafio agora é a manutenção deste custeio para 2022 que o Paraná e outros estados pedem ao Ministério da Saúde, mesmo com o cenário do fim da crise sanitária”, disse.

A comitiva, composta por César Augusto Neves, chefe de Gabinete da Sesa; Jucenir Stentzler, assessor de Gabinete; e Giovana Fratin, gerente de Atenção a Urgência, também reafirmou a necessidade do Ministério da Saúde publicar a portaria que dispõe sobre os recursos das cirurgias eletivas, para que possam ser iniciadas já neste ano.

Além desses assuntos, a equipe discutiu ainda sobre as tratativas para o modelo de gestão a ser adotado no Hospital Regional de Guarapuava, além da solicitação para a ampliação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) Regional de Guarapuava e o pedido de mais doses da vacina Astrazeneca para completar esquema vacinal.

“Nosso encontro em Brasília foi bastante amplo e trouxe à pauta assuntos relevantes e que atingem diretamente a todos nós. Esperamos que nossas solicitações sejam atendidas, para que possamos acelerar nossas cirurgias com uma rede mais ampla, assim como aporte federal no custeio e manutenção”, afirmou César Augusto Neves.

PARTICIPAÇÕES

A comitiva se reuniu com o secretário de Atenção Especializada (Saes) do Ministério da Saúde, Sérgio Okane; a secretária Extraordinária para o Enfrentamento à Covid-19, Rosana Leite de Melo; o secretário-executivo do Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde), Jurandir Frutuoso Archives, além do Coordenador-geral e do Técnico de Urgência e Emergência da Secretaria Especializada à Saúde do Ministério da Saúde, Rafael Agostinho e Haroldo Poleti.

SEMINÁRIO

A equipe do Ministério da Saúde foi convidada para o seminário que acontecerá no primeiro semestre de 2022 no Paraná sobre a regulação de urgência e operação do Samu e dos Consórcios de Urgência.

(AEN)

Relacionadas

Leave a Comment