Médicos preocupados com a falta de medicamentos

Pediatra de Cascavel diz que há um desabastecimento de antibióticos, antialérgicos e analgésico nunca visto antes

© Marcello Casal jr/Agência Brasil

Médicos de todo o Brasil estão preocupados com a falta de medicamentos nas farmácias. Isso também ocorrido em Cascavel. O pediatra Lúcio Aguiar Dias usou as redes sociais para falar do problema e disse que o momento é difícil para a prática da medicina.

“Nas últimas semanas tivemos um aumento muito grande de infecções e alergias respiratórias, além de inúmeros casos de dengue , gastroenterites, alguns casos de Covid…Isso tem acarretado um aumento impensável no número de consultas, tanto nos serviços públicos quanto particulares. Outra dificuldade que estamos enfrentado e que nos deixa angustiados é a falta de antibióticos, analgésicos, antialérgicos nas farmácias. Desabastecimento nunca antes visto! Estamos muitas vezes sem opções para prescrição. Dificilmente antes, negamos horário de consulta aos meus pacientes. Infelizmente nos últimos dias tivemos que fechar a agenda devido a essa demanda”, escreveu o médico pedindo desculpas aos pacientes que não conseguiu atender. há mais horário disponível para o determinado dia.
A falta é de produtos básicos, segundo apurou reportagem do Estadão na semana passada.

Entre os motivos, dizem secretarias de Saúde e entidades do setor, estão problemas no fornecimento pelo Ministério da Saúde e dificuldades de importação de insumos, por causa da guerra na Ucrânia, do lockdown na China e movimentos de protesto de funcionários em portos e aeroportos. Gestores admitem a necessidade até de interromper tratamentos e adiar cirurgias eletivas (não urgentes).

Conforme a Secretaria da Saúde paulista, dos 134 medicamentos distribuídos pela pasta federal, 22 estão em falta no Estado (17% do total). Em Minas, dos 256 remédios distribuídos pela rede estadual, faltam 51 (20%). Nesta semana, o Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo (SindHosp) alertou para estoques críticos na rede privada.

Presidente do SindHosp, Francisco Balestrin diz que o cenário é grave. “O problema de abastecimento tem múltiplas causas, sendo a principal o conflito Rússia x Ucrânia, que dificultou importações e causou aumento dos preços dos insumos”, afirma. “Soma-se, ainda, a dificuldade de liberação dos produtos nos portos e aeroportos”, acrescenta, em referência aos protestos de funcionários da Receita nas últimas semanas.

Relacionadas

Leave a Comment