Mobilidade urbana: Região do Lago e Bairro Santa Cruz passam a contar com binários ainda este ano

Implantação de sentido único nas ruas Terra Roxa/Capitão Leônidas Marques (Lago) e Bororós/Tupiniquins, no Santa Cruz, segue tendência de cidades em desenvolvimento como solução de conflitos de trânsito

Divulgação

Cidade que acaba de completar 70 anos e cresce vertiginosamente, a capital do Oeste paranaense há alguns anos já demanda de soluções características de grandes centros para garantir que a mobilidade urbana alavanque o desenvolvimento sem travar o deslocamento diário de sua gente e garantir qualidade de vida. Com uma frota que cresceu 122,9% em 14 anos, Cascavel pede vias com trafegabilidade, mas o desafio dos especialistas em trânsito tem sido aliar fluidez com segurança viária.

E os binários que surgiram como uma estratégia de gestão da mobilidade em regiões centrais, chegaram também aos bairros. O 11º e o 12º do Município serão implantados ainda este ano, contemplando a Região do Lago e o Bairro Santa Cruz.

Após estudos de mobilidade urbana e engenharia de tráfego realizados com base em conflitos de trânsito e excesso de acidentes apontados em demandas da comunidade e de representantes da Câmara de Vereadores, a Transitar projetou a implantação de sentido único nas ruas Terra Roxa/Capitão Leônidas Marques, na Região do Lago; e ruas Bororós/Tupiniquins no Bairro Santa Cruz, o qual acabará fazendo uma extensão do binário da Rua Francisco Bartinik, como alternativa para organizar o trânsito nesses locais. Toda a sinalização horizontal e vertical das vias, com ordenação do tráfego, está prevista para ser concluída até o fim deste ano.

Decisão conjunta com a comunidade

O projeto e os impactos da mudança foram discutidos junto com representantes da comunidade em reuniões nos bairros. Também já foi realizado um trabalho de sensibilização com os cidadãos diretamente atingidos, desde moradores até comerciantes das ruas que serão modificadas, pela equipe do Setor de Educação de Trânsito e Cidadania da Transitar, em parceria com o Território Cidadão da Prefeitura de Cascavel.

Eles percorreram moradias e comércio informando e detalhando a proposta. A maioria consultada apoiou e concordou que há necessidade de manter as vias com sentido único, para melhorar a fluidez no trânsito com maior segurança para todos que ali transitam, levando em consideração o aumento considerável no movimento nos últimos anos.

A presidente da Transitar, Simoni Soares, explica que binários são realidades de cidades em desenvolvimento e com planejamento urbano estratégico como Cascavel, que precisa rapidamente resolver gargalos em bairros que crescem a passos largos e contam com ruas estreitas e que já não comportam o tráfego em mão dupla, além do estacionamento nos dois lados da via.

“Toda mudança requer um período de adaptação e, a maioria dos moradores, concorda que há necessidade de uma ação que promova solução para conflitos de trânsito na região; e o binário é uma saída inteligente e viável, que traz maior segurança e fluidez para todos os envolvidos no trânsito. Essas mudanças levam em consideração, principalmente, inúmeros pedidos da própria comunidade, e de representantes da Câmara de Vereadores, e foram definidas somente após uma avaliação técnica criteriosa”, detalha Simoni.

Veja como ficará

O engenheiro de trânsito da Transitar, Juliano Denardin, explica que toda a sinalização está sendo preparada para que, até o fim do ano, as equipes façam a mudança nas vias. Paralelamente, assim que for implantado o sentido único, o setor de educação e agentes de trânsito retornarão aos bairros orientando os moradores sobre as mudanças.

Região do Lago – Veja o Mapa

A Rua Terra Roxa terá sentido único no sentido Jacarezinho-Avenida Rocha Pombo; e a Rua Capitão Leônidas Marques no sentido inverso, Avenida Rocha Pombo-Rua Jacarezinho.

região lago

Santa Cruz – Confira o mapa

A Rua Bororós seguirá no sentido único do bairro para o Centro da cidade; e a Rua Tupiniquins do Centro para o bairro.

santa cruz

Fluidez x velocidade

“A transformação de uma via em sentido de operação em mão única é um dos recursos de engenharia de tráfego que visa melhorar a fluidez para todos, inclusive para quem atravessa as vias de mão única, pois facilita a visibilidade. Contudo, muitas pessoas confundem fluidez com velocidade. O binário, no entanto, não é via rápida, ele é uma rua com limite de velocidade como as demais, mas com um tráfego que transcorre naturalmente em várias pistas”, explica o engenheiro Juliano Denardin.

No caso dos novos binários, nos bairros, por exemplo, a velocidade máxima permitida será de 40km/h, já visando à segurança e à prevenção de acidentes e uma travessia segura para os demais modais, como ciclistas e pedestres.

 

Relacionadas

Leave a Comment