Novo contrato de concessão prevê aumento de cinco vezes na renda dos catadores de recicláveis

Novo contrato da concessão dos serviços públicos de limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos foi debatido na manhã de hoje em audiência pública

A audiência que debateu o contrato da nova concessão realizada na manhã desta quarta-feira (22) trouxe com um dos pontos que despertou a atenção dos participantes, a responsabilidade social que o novo modelo prevê. O novo contrato vai fortalecer ainda mais a sustentabilidade e as questões sociais do Município de Cascavel. O edital prevê, por exemplo, que 100% dos materiais recicláveis sejam doados às cooperativas de catadores, o que pode aumentar em até cinco vezes o rendimento dos cooperados.

O prefeito Leonaldo Paranhos enfatiza que o recolhimento dos resíduos precisa levar em consideração a função social como uma das prioridades e destacou a importância do trabalho desenvolvido pelos catadores.  “Além de tirar o impacto ambiental se transforma em renda para essas famílias. Ainda não atingimos o nível que queremos de ganho para essas pessoas, mas pretendemos atingir o objetivo de quintuplicar a renda desses trabalhadores que ajudam a cuidar da nossa bela cidade”, afirmou o prefeito.

O secretário Nei Haveroth destaca que a melhoria na qualidade de serviço prestado à população é um dos pontos mais importantes. “Nós temos certeza que essas propostas debatidas e os questionamentos trarão avanços para a cidade de Cascavel. Todos os aspectos, as deficiências, foram apresentadas dentro do cenário que a Fipe nos colocou. Todas as considerações de quantidade, do qualitativo do serviço foi considerado e teremos propostas inovadoras”, diz o secretário.

André Brandão, gerente de projetos da Fipe, fundação que fez um estudo sobre o serviço em Cascavel, diz que a proposta apresentada é moderna disse que a meta de reciclagem que irá quintuplicar o recolhimento do material reciclável irá beneficiar toda a cidade. Ele destacou, ainda, que uma das novidades será a educação ambiental inserida no novo contrato.  “É um trabalho de formiguinha, mas necessário que, ao longo desses 20 anos de contrato, vai fazer uma diferença muito grande na gestão do lixo de todo o munícipe. Não adianta só ficar coletando lixo na medida em que a gente não educa a nossa população para saber o que fazer com o lixo, como separar, consumo consciente. Vai ser um avanço bem grande para o Município de Cascavel”, enfatizou.

Consulta pública

No período de 7 de dezembro de 2021 a 7 de janeiro de 2021, os documentos relacionados ao projeto, inclusive as minutas de edital e do respectivo contrato de concessão estão à disposição dos interessados para consulta pública, por meio do seguinte link: https://drive.google.com/drive/folders/1AB0epcM9CQJciOMGDxJai_z0MrRNwTJo?usp=sharing

Audiência

Entidades da sociedade civil organizada, religiosas, sindicatos, vereadores, cooperativas de materiais recicláveis, colaboradores da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e população prestigiaram e puderem opinar ou sugerir sobre o novo modelo ideal de coleta de resíduos orgânicos e de materiais recicláveis.  Cascavel conta hoje com mais de 330 mil habitantes e, em média, 7.200 toneladas de resíduos orgânicos são recolhidos todos os meses.

A Secretaria do Meio Ambiente estima que mais de 30% dos resíduos que são levados para o Aterro Sanitário Municipal poderiam ser reciclados. É esse trabalho de conscientização, por meio de educação ambiental, caso a população permaneça consciente sobre a importância de separar  recicláveis dos rejeitos.

Foto e Texto: Secom Cascavel

Relacionadas

Leave a Comment