Praias das costas Norte e Oeste mantêm águas com condições boas para banho

4º Boletim de Balneabilidade foi divulgado nesta sexta-feira (14) pelo Instituto Água e Terra (IAT). Litoral apresenta nove pontos impróprios para banho.

As águas das praias artificiais do Norte e Oeste do Estado, com coleta e análise da qualidade da água, se mantém próprias para banho e prática de esportes. No litoral do Estado, nove pontos são indicados como impróprios, devendo evitar o contato com a água nestes locais.

Os dados são do 4º Boletim de Balneabilidade do Estado do Paraná divulgado nesta sexta-feira (14) pelo Instituto Água e Terra (IAT). O órgão também sinaliza dez locais no Litoral com foz dos rios que chegam ao mar como impróprios, totalizando 76 pontos indicados.

“Nos locais sinalizados impróprios, a intenção é demonstrar para a população que existe o risco de contrair doenças ao se utilizar da água para natação e mergulho. Não é recomendado contato com a água”, destaca a bióloga Christine da Fonseca Xavier, chefe da Divisão de Monitoramento do IAT .

A água localizada na ponte da Avenida Principal do Balneário Olho D’água, em Pontal do Paraná, passou de imprópria na última análise para própria nesta semana. Cada ponto monitorado possui uma bandeira que indica os locais próprios ou impróprios para banho.

O monitoramento do IAT é feito há mais de 30 anos durante a temporada de verão, período de maior fluxo de veranistas. Nesta temporada, serão divulgados 11 boletins no total, até a semana do feriado de Carnaval. A análise laboratorial é feita de acordo com o preconizado pela Resolução Conama nº 274/2000, em que as áreas balneáveis são classificadas como próprias ou impróprias.

A primeira indica que é seguro realizar atividades de contato primário, tais como natação e mergulho, por exemplo, e a segunda classificação indica que há uma maior probabilidade de que este contato possa acarretar em risco à saúde humana, tais como a aparição de otites, gastrenterites, dermatites, entre outros.

SAÚDE –  A análise laboratorial avalia a concentração de bactérias Escherichia coli (E.coli), presentes em esgoto sanitário clandestino e fezes humanas e de animais de sangue quente.

Quanto maior a quantidade da bactéria na água, maior a possibilidade da existência de agentes patogênicos que podem colocar em risco a saúde dos banhistas. As doenças mais comuns são gastrenterite, diarreia, doenças de pele e infecções nos olhos, ouvidos e garganta. Outras mais graves também podem ser transmitidas por meio da água, como Hepatite A, Cólera e Febre Tifóide.

IMPRÓPRIOS – Além dos dez locais de foz indicados no Boletim de Balneabilidade, são impróprios: Praia Caieiras (à esquerda da Rua Frederico Nascimento) e Praia Guaratuba (à esquerda da Rua Ponta Grossa), ambos em Guaratuba; na Praia Brava Caiobá (altura da Rua Alvorada e na Rua Jacareinho), na praia Central de Matinhos (à esquerda do Morro) e no Balneário Flamingo (à esquerda do Rio Matinhos), Praia Brava de Matinhos (no Posto Policial de Salva Vidas da Rua Londrina); na praia de Encantadas na Ilha do Mel (em frente ao módulo policial e à direta do trapiche); e na Ponta da Pita em Antonina/Morretes.

COMO SABER – Os Boletins de Balneabilidade são atualizados às sextas-feiras no site www.iat.pr.gov.br, nas abas “Monitoramento” e Balneabilidade”. Também é possível baixar o APP chamado “Balneabilidade Estado do Paraná” e acessar as informações do celular.

(AEN)

Deixe um comentário