Redobre a atenção! Transitar alerta para o risco de aquaplanagem

A atenção por parte dos condutores precisa ser redobrada em dias chuvosos, uma vez que o veículo pode derrapar, exigindo um espaço maior para frenagem, além do risco da aquaplanagem

Foto: Sílvia Soluszynski/Secom

A Transitar alerta aos condutores de Cascavel sobre os riscos de aquaplanagem em períodos de chuvas. A atenção por parte dos condutores precisa ser redobrada, uma vez que os veículos podem derrapar, exigindo um espaço maior para frenagem.

A aquaplanagem ocorre quando a água cria uma fina camada sobre a via, fazendo com que os pneus percam o atrito com o asfalto e, se o motorista não reagir corretamente, pode causar um acidente, pois o carro flutua, fazendo com que o motorista perca o controle do veículo.

Algumas ações simples são fundamentais para evitar esse fenômeno, como a reduzir a velocidade, mesmo que a sinalização da via indique uma velocidade superior. Quanto menor a velocidade, maior o tempo para a água escoar pelos sulcos do pneu, evitando a aquaplanagem.

O estado de conservação dos pneus é um fator relevante para evitar acidentes em decorrência da quantidade de água na via. Pneus muito gastos podem fazer com que o veículo aquaplane facilmente, pois não possuem mais os sulcos, que têm formas projetadas para que a água seja escoada pela extremidade, mantendo a aderência ao solo.

Outra orientação é que o condutor evite trafegar por locais com risco de alagamentos. Procure rotas alternativas.

No entanto, se mesmo com todos os cuidados ocorrer a aquaplanagem, o condutor deverá aplicar a direção defensiva, seguindo algumas orientações:

• Retire imediatamente o pé do acelerador assim que sentir que o carro já não está mais sob seu controle;

• Não pise no pedal do freio bruscamente;

• Adote manobras suaves;

• Mantenha distância dos demais veículos;

• Segure firme o volante para manter as rodas retas;

• Quando os pneus retomarem o contato com o solo, gire levemente o volante de um lado para o outro para sentir que o veículo recuperou a aderência.

(SECOM)

Relacionadas

Leave a Comment