Sob forte calor, Expo Dubai começa a receber visitantes

© Marcelo Camargo/Agência Brasil

Os portões da Expo 2020 foram abertos hoje (1°), às 9h (horário de Dubai), permitindo acesso de visitantes a esse que é o maior evento internacional com presença de público desde o início da pandemia de covid-19. A exposição mundial começou com o clima característico dos Emirados Árabes Unidos: muito calor.

Já no início da manhã, os termômetros indicavam mais de 30 graus Celsius (°C). À tarde, com o sol a pino, a temperatura estava em torno de 40°C, com sensação térmica superior. Como o evento é realizado ao ar livre, o clima quente é algo com que os visitantes precisam se acostumar.

As coberturas de lona que cobrem boa parte das alamedas da exposição garantem alguma proteção contra o sol, mas de forma alguma amenizam o calor.

Covid-19

Uma das preocupações da exposição é com a covid-19, doença que provocou o adiamento do evento em um ano. Os visitantes precisam apresentar certificado de vacinação ou teste de detecção da doença com resultado negativo.

Apesar do calor e das restrições em função da pandemia, muitos moradores locais e turistas se animaram para visitar a exposição. Como o espaço é amplo, com mais de 4 quilômetros quadrados (km²), é possível visitar o evento sem gerar aglomerações.

A Expo 2020 é uma exposição mundial para promover e debater alternativas e inovações tecnológicas, que os países participantes exibem para o mundo através de pavilhões. O pavilhão do Reino Unido, por exemplo, apresenta inovações em inteligência artificial e exploração espacial.

Empresas também estão representadas, como a companhia aérea nacional de Dubai, Emirates, que exibe em seu pavilhão visões sobre o futuro da aviação, como cabines de aviões que trarão mais conforto para passageiros e motores que consumirão menos combustível.

O evento ocorre desde 1851 e, nos últimos 20 anos, a frequência tem sido a cada cinco anos. A última edição, em 2015, ocorreu em Milão e a próxima, em 2025, será no Japão. A Expo de Dubai foi uma exceção do calendário quinquenal justamente por causa da covid-19.

Mais de 190 países, além de empresas e organizações internacionais, estão representados nos pavilhões da exposição, entre eles o Brasil. Com seu coração no domo de Al Wasl, que tem 67 metros de altura, a feira é dividida em três setores, que formam três pétalas ao redor do globo central.

Cada setor se dedica a um tema: oportunidade, mobilidade e sustentabilidade. O pavilhão brasileiro está localizado no setor da sustentabilidade.

Além dos pavilhões, estão previstas discussões acerca de temas relevantes para o futuro do planeta, como clima e biodiversidade, desenvolvimento urbano e rural, tolerância e inclusão, entre outros.

Também estão previstas atrações culturais fora dos pavilhões, como um desfile colorido, ao estilo carnavalesco, com direito a pessoas fantasiadas, dançarinos e até um mini carro alegórico.

(Agência Brasil)

 

Relacionadas

Leave a Comment