Dal Molin apresenta projeto que proíbe a linguagem neutra em Cascavel

Flávio Ulsenheimer

O vereador Celso Dal Molin (PL) apresentou um projeto de lei que proíbe a linguagem neutra em Cascavel.

O projeto passou por unanimidade na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara de Vereadores.

Ainda não há previsão de inclusão na pauta para que seja apreciado pelos vereadores.

De acordo com o vereador, é preciso proteger o direito dos estudantes e valorizar a língua portuguesa que é patrimônio cultural.

A linguagem neutra — também chamada de “pronome neutro”, “linguagem não binária” ou “neolinguagem” — é a proposta de adaptação da língua portuguesa para que as pessoas não binárias (quem não se identifica nem com o gênero masculino nem com o feminino) se sintam representadas.

Por outro lado, esse tipo de linguagem deturpa a norma culpa da língua portuguesa.

A linguagem neutra é uma ideia defendida por alguns grupos que afirmam que a Língua Portuguesa é preconceituosa e machista. Assim, os militantes visam uma mudança radical na norma culta do português.

Por exemplo, palavras como “todos” ou “todas” são substituídas por “todes” ou “todx”. Pronomes como “dele” ou “dela” são substituídos por “dili” ou “delx”. Ou seja, a prática visa usar palavras neutras, nem masculinas nem femininas.

Relacionadas

Leave a Comment