LIRAa aponta alto risco para infestação de Aedes aegypti e cuidados precisam ser redobrados

Mais de 4,7 mil imóveis foram inspecionados nesta semana e o levantamento apontou 5,3% de infestação. Em alguns bairros o percentual chegou a 10,2%_

Foto: Agência Senado/Prefeitura de São Paulo

O setor de Controle de Endemias, vinculado à Divisão de Vigilância em Saúde Ambiental, divulgou nesta quarta-feira (16) os números do segundo Levantamento de Índice Rápido e Amostral (LIRAa) em Cascavel. Os dados são preocupantes e exigem, da população, um comprometimento maior na limpeza de lotes e eliminação de água parada que serve como criadouro do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue.

Foram vistoriados 4.787 imóveis e constatado infestação em 5,3% deles, bem acima do índice preconizado pelo Ministério da Saúde que é de 1%. Alguns bairros ficaram bem acima da média geral, como é o caso do Nova Iorque, Pacaembu, Cascavel Velho, Jardim Itália I e II, Veneza, Lago Municipal, Presidente e Aquarela do Brasil que registraram índice de 10,2%.

“O índice geral é alarmante, pois estamos registrando um número alto de casos positivos para dengue em nosso município e alguns estratos apresentaram índices ainda mais elevados”, diz Clair Wagner, gerente da Divisão de Vigilância em Saúde Ambiental.

O setor de Endemias irá intensificar as vistorias nas localidades com maior infestação nos próximos dias, focando nas orientações e eliminação dos focos do mosquito Aedes aegypti. “Porem é urgente que a população também intensifique os cuidados neste período de chuva e calor, que os moradores façam o dever de casa, a faxina semanal, não deixando locais que possam acumular água. Lembrando que a dengue é uma doença de fácil prevenção e o combate ao vetor é um dever de todos”, afirma Clair.

O boletim arbovirose desta semana aponta para 236 casos. Em uma semana o número cresceu 60%

Confira a infestação por região:

Estrato 11 – ( Nova York, Pacaembu, Cascavel Velho, Jardim Itália I e II, Veneza, lago Municipal, presidente e Aquarela do Brasil), apresentou índice de 10,2%, ( alto risco);

Estrato 07 – (Angra dos Reis, Esmeralda, Siena, Santos Dumont, Aeroporto, Guarujá, Vila Dione, Quebec, XVI de Novembro Itapuã, Santa Felicidade), indice 8,7% ( alto risco);

Estrato 06 (3 centro II, Palmeiras I, Alto Alegre, Santo Onofre, Santa Cruz I e II, Fag, Treviso, Paulo Godoy), indice de 8,7% ( alto risco);

Estrato 10 (Padovani, Jardim União, Santa Catarina, Faculdade I e II, Universitário, Turisparque, Veredas) indice de 6,3% ( alto risco);

Estrato 05 (Tropical, Parque Verde, Cidade Verde, Moradas, Terra Nova, Tropical II ,Aclimação,Coqueiral,Palmeiras II), indice de 5,5% ( alto risco).

(Secom)

Relacionadas

Leave a Comment