No Dia Mundial das Abelhas, Estado destaca importância da preservação das espécies nativas

Programa Poliniza Paraná já conta com a adesão de pelo menos 25 municípios

Foto: Denis Ferreira Netto

Em alusão ao Dia Mundial das Abelhas, comemorado nesta sexta-feira (20), o Governo do Paraná celebra a adesão de 25 municípios ao Poliniza Paraná desde o início deste ano. O objetivo do programa é promover a educação ambiental sobre o importante papel delas na preservação da biodiversidade, além da produção do mel. O projeto foi expandido para o Estado pela Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo (Sedest) dentro dos Parques Urbanos, espaços viabilizados pela pasta, por meio do Instituto Água e Terra (IAT).

A Secretaria também atendeu a procura de prefeituras que não possuem um Parque Urbano em implantação e estuda a viabilidade de instalar os Jardins de Mel. Os Parques Urbanos são espaços que, além de solucionar problemas provocados por erosões, se tornam áreas de uso público com infraestrutura de lazer e preservação do meio ambiente.

A polinização é o processo que garante a produção de frutos e sementes, além da reprodução de diversas plantas. “É um projeto simples, mas muito importante. Assim conseguimos manter as abelhas nativas sem risco de extinção e espalhadas pelo Paraná inteiro. Elas colaboram com a fauna e flora e ajudam com a biodiversidade”, destacou o governador Ratinho Junior. “São abelhas sem ferrão e as pessoas não precisam ter medo. Fazer com que as crianças aprendam sobre a importância das abelhas ajuda a preservar e cuidar do nosso futuro”.

A instalação de colmeias de abelhas nativas sem ferrão em diversas cidades do Estado também tem o objetivo de reintroduzir polinizadores nativos em seus locais de origem, pois muitos estão ameaçados de extinção. O projeto contempla a construção de jardins de mel, inspirado no que já existe na Capital, por meio da Prefeitura de Curitiba.

“As abelhas são fundamentais para o meio ambiente e a criação daquelas sem ferrão promove a conscientização da população, que passa a enxergá-las de outra maneira. Com esses jardins de mel nos Parques Urbanos, os moradores conhecem mais sobre as abelhas e, consequentemente, passam a cuidar mais”, destacou o secretário estadual do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Everton Souza.

A expansão dos jardins de mel a outros municípios do Estado foi idealizada a partir de um pedido especial feito por uma aluna do ensino fundamental do município de São João, no Sudoeste do Estado. O Governo do Estado buscou a expertise da prefeitura de Curitiba para disseminar a ideia. Os jardins são mantidos pelas prefeituras.

PRESERVAÇÃO

As espécies indicadas para implantação das colmeias são: Guaraipo, Jataí, Mandaçaia, Mirim e Manduri. O projeto é uma linha de ação do Programa Paraná Mais Verde, decretado na Lei Estadual n° 20738/2021, e é um dos meios de se alcançar as metas definidas nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU), principalmente relacionado ao objetivo 15 – Vida Terrestre.

Entre os objetivos específicos estão, além da instalação de colmeias nos municípios contemplados com Parques Urbanos e a promoção da educação ambiental, a formação e capacitação de multiplicadores e guardiões das abelhas nativas sem ferrão; a multiplicação do projeto para escolas da rede estadual.

ABELHAS

Existem mais de 20 mil espécies de abelhas espalhadas pelo mundo. A maioria delas tem comportamento solitário, mas existem aproximadamente 420 espécies sociais nativas sem ferrão e 300 delas são encontradas no Brasil.

Elas auxiliam na produção de cerca de 90% dos alimentos no mundo e são responsáveis por polinizar cerca de 70% das plantas agrícolas, aumentando a quantidade ou a qualidade da produção. No bioma em que vivemos, a Mata Atlântica, as abelhas nativas também são responsáveis pela perpetuação de 90% das espécies vegetais.

Como ajudar na preservação das abelhas:

• Plante flores em vasos ou no jardim para servirem de alimento às abelhas;

• Não use produtos químicos ou inseticidas próximos aos ninhos;

• Não danifique os meliponários;

• Visite os Parques Urbanos da sua região;

• Deposite seu lixo na lixeira;

• Respeite a natureza.

(AEN)

Deixe um comentário