Número de óbitos no trânsito do perímetro urbano de Cascavel cai 12% em 2021

90% dos acidentes fatais entre condutores de veículos motorizados tiveram como um dos fatores preponderantes o excesso de velocidade

O ano de 2021 foi marcado por um intenso trabalho em favor das vidas no trânsito, com ações integradas dos órgãos de trânsito, forças de segurança pública, veículos de imprensa, Câmara de Vereadores, sociedade civil organizada e usuários da via pública. O resultado foi positivo, apesar de ainda estar longe do ideal.

O maior número de vidas perdidas em decorrência de acidentes de trânsito permanece sendo de motociclistas, mas representando uma redução de 27% em relação a 2020. O número de pedestres que perderam a vida por atropelamento também reduziu em 33%, mas com um aumento de 100% entre os condutores de automóveis e 50% de ciclistas.

2020 2021
CONDUTORES: 03 CONDUTORES: 06
PASS. CARRO: 00 PASS. CARRO: 00
MOTOCICLISTA: 20 MOTOCICLISTA: 15
PASS DE MOTO: 02 PASS DE MOTO: 01
PEDESTRE: 06 PEDESTRE: 04
CICLISTA: 02 CICLISTA: 03
TOTAL: 33 TOTAL: 29

Segundo a presidente da Transitar, Simoni Soares, os números  positivos, especialmente em relação a redução de mortes entre os motociclistas, demonstram uma atenção especial com esses condutores a partir do dado alarmante de 2020, que contabilizou um aumento de 145% em relação a 2019. “Foram realizadas várias ações, planejadas com base nas estatísticas do PVT – Programa Vidas no Trânsito do COTRANS, com o foco na conscientização dos motociclistas, unido intervenções de engenharia e intensificação de fiscalização”, ressalta Simoni.

“Para o ano de 2022, continuaremos as ações de intervenção de engenharia, em continuidade ao trabalho que iniciamos no segundo semestre de 2021, priorizando os locais com maior índice de acidentes graves e gravíssimos. A Avenida das Pombas receberá a revitalização em toda sua extensão ainda nesta primeira semana de janeiro, seguido do Bairro Universitário e Brasmadeira, que juntos somam 31% (trinta e um por cento) dos óbitos no trânsito de Cascavel no último ano”, explica Simoni.

O motivo dos acidentes permanece sendo a imprudência, sendo que 90% (19) dos acidentes fatais entre os condutores tendo como fator preponderante o excesso de velocidade e 57% (12) o avanço de sinal vermelho ou de preferencial. Estão presentes nestes acidentes também a condução de veículo sob efeito de álcool, fadiga e sem utilizar o cinto de segurança.

Um dado que desperta a atenção do Órgão de trânsito é a idade dos motociclistas que perderam a vida em 2021, mais de 53% (8) tinham menos de 22 anos de idade, sendo 01 com 16, 17 e 18 anos.

Outro dado que vai ao encontro das estatísticas nacionais, é o percentual de condutores do sexo masculino que perderam a vida no trânsito, representando 95% dos óbitos em 2021.

Entre os óbitos de ciclistas, a falta de capacete é um fator determinante, já no caso dos pedestres, transitar em local impróprio é o principal, mas em ambos a visibilidade e atenção somam-se aos fatores principais.

Não Habilitados

No primeiro semestre de 2021, a média de autuações em blitz por condutores não habilitados representava 49%, no segundo semestre esse número caiu para 27%. Esse dado representa números consideráveis em relação à 2020, onde em blitz no mesmo período foram 534 autuações por condutores sem CNH, com CNH suspensa ou cassada, contra 270 em 2021, representando uma queda de, praticamente, 50% em relação ao ano anterior.

A relação da falta de instrução adequada para conduzir veículo automotor com a segurança viária, também pode ser confirmada no número de óbitos no perímetro urbano, com 29% (6) dos condutores sem CNH, sendo que 100% deles conduziam motocicletas.

Desrespeito: 85% dos cruzamentos com maior índice de acidentes são semaforizados

Uma estatística que serviu como base para algumas ações da Autarquia em 2021, foi o elevado número de acidentes em cruzamentos com semáforo, e esse percentual praticamente se manteve no segundo semestre, aumentando no balanço anual.

No primeiro semestre, nos cruzamentos com maior número de acidentes registrados – considerado acima de 5 – 81% contam com o equipamento, ou seja, 17 de 21 cruzamentos, no segundo semestre esse percentual representa 82%, no entanto o que houve foi um aumento dos cruzamentos analisados considerando as mesmas bases, subindo de 21 para 38, sendo que destes 31 contam com semáforo.

Assim, conclui-se que houve um aumento dos cruzamentos com registros de acidentes no segundo semestre. O que mais assusta é que alguns destes cruzamentos contam também com radares, no caso do segundo semestre, dos 31 (trinta e um) cruzamentos semaforizados, 19% (dezenove por cento) contam também com radar fixo.

Segundo Simoni, as estatísticas dos cruzamentos semaforizados como sendo aqueles com maior índice de acidentes e com maior gravidade é alarmante, fechando com 85%, na análise do relatório de 46 cruzamentos com registros acima de 7 (sete) acidentes durante todo o ano de 2021, e destes 39 com equipamento semafórico, sendo que 6 deles também possuem radares.

Uma alternativa adotada pela Transitar e que teve uma boa aceitação pelos cascavelenses, foi a rotatória, como dispositivo para organizar o trânsito e reduzir a velocidade nos cruzamentos, com uma redução média de 81% dos acidentes em relação ao período anterior à implantação. “Somente em 2021, foram implantadas 8 (oito) novas rotatórias, sendo que um cruzamento aguarda intervenção da Secretaria de Obras para ser executada, mas outros cruzamentos podem ser avaliados para que o dispositivo seja implantado”, explica o encarregado do setor de engenharia, Juliano Denardin.

Acidentes em 2021 refletem a imprudência no trânsito cascavelense

Nos dados gerais os acidentes tiveram um aumento de 27,7% em relação ao ano de 2020, subindo de 3.128 para 3.994 em 2021.

O maior aumento ocorreu entre os motociclistas, com 46% a mais do que o ano anterior, representando 38% do total dos 866 acidentes a mais em 2021. O aumento de atropelamentos também teve um aumento de 47%, subindo de 32 para 47 em 2021. Assim, mesmo com a redução de óbitos de motociclistas e pedestres, o número de acidentes permanece alarmante.

Já entre os ciclistas o número subiu de 58 para 68 acidentados, com um aumento percentual de 17%. O aumento de 22% nos acidentes envolvendo automóveis, representa 510 acidentes a mais do que o ano anterior, subindo de 2.321 para 2.831.

Tripé do Trânsito: ações educativas e fiscalização, somam-se às intervenções de engenharia

Dando continuidade as ações planejadas em 2022, tendo como base a segurança viária, a Transitar mantém um planejamento de revitalização de sinalização horizontal e de intervenções de engenharia para solução de conflitos de trânsito, pontualmente.

Paralelamente, o setor de educação de trânsito e cidadania desenvolve um cronograma de ações com foco na conscientização dos usuários da via pública, visando torna-la um espaço pacificamente compartilhado.

Para coibir os excessos daqueles que insistem no desrespeito às regras de trânsito, colocando os demais usuários da via pública em constantes situações de insegurança, a fiscalização deve continuar agindo nas denúncias, reclamações, sugestões e nos dados fornecidos pelo Programa Vidas no Trânsito – PVT.

Ouvidoria

Para atendimento aos usuários, a Transitar conta com os canais de ouvidoria para atendimento via aplicativo de mensagens whatsapp. Fiscalização de Trânsito: (45) 99135-5207, Engenharia: (45) 98431-6370.

Foto e Texto: Secom Cascavel

Relacionadas

Leave a Comment